Uso de Inteligência Artificial em Inteligência de Mercado

  • Nov,2017
  • 15k
  • 278
  • 189

Uso de Inteligência Artificial em Inteligência de Mercado

Por HC&P Consulting

Compartilhar

Há pouco tempo atrás conseguir informações sobre um assunto era uma tarefa que demandava bastante tempo e energia. A ida a bibliotecas, consulta por títulos, pesquisa e organização de informações de maneira manual exigia uma dedicação grande para se conseguir compreender melhor algum assunto.

Para as empresas conseguirem um grande volume de informações eram necessários vários funcionários, espaços físicos grandes para acomodação de papéis e sistema de busca interno bastante complexos.

Com o aprimoramento da tecnologia, a sofisticação dos satélites, antenas, computadores e até dos programas que gerenciam essa movimentação de informações, a dinâmica da pesquisa e do conhecimento mudou. Principalmente com a popularização da internet, e até a sua banalização, não só as empresas, mas a sociedade como um todo modificou a maneira como se comunica, se informa e até como vive, com a interação com o mundo acontecendo através de telas e aplicativos.

A tecnologia permitiu aos usuários acessibilidade que ocasionou em um número de informações excessiva, desorganizada e nem sempre confiável. Ao se realizar uma pesquisa encontra-se uma dificuldade em assimilar qual informação é verdadeira em meio as milhares de respostas possíveis de serem encontradas.

Quando se trata de uma pesquisa simples e pessoal, a responsabilidade sobre a agilidade e a veracidade da busca da informação é menor. Porém, para empresas que precisam dessas informações para se manter no mercado, passa a ser imprescindível estudar e otimizar a qualidade e o modo que esses dados serão usados.

Em meio ao turbilhão de informações recebidas hoje, é muito importante utilizar estratégias para filtrar os dados que são oferecidos. Essa seleção deve ser feita de forma inteligente, com procura e análise sobre quais elementos são relevantes para a atuação do mercado, de forma a organiza-los e aproveita-los de maneira que atinja o público alvo desejado.

Ao aprender a observar as movimentações do mercado, a empresa pode adotar uma postura mais proativa e não apenas seguir o fluxo das concorrentes. Assim, é possível antecipar as tendências e sair na frente com as oportunidades, com a criação de um diferencial e consequente aumento de chances de sucesso sobre os competidores.

Porém, elaborar as estratégias para sobressair no mercado pode ser uma tarefa complicada e uma opção para vencer esse desafio é contar com a ajuda das máquinas.

O estudo para que as máquinas fossem capazes de desenvolver atividades tipicamente humanas começou na década de 50 e com a evolução computacional essa tendência ganhou mais força. A princípio, a ideia era reproduzir em máquinas a capacidade do ser humano de pensar, mas a ideia evoluiu para a criação de auto aperfeiçoamento, uso de linguagem e até de ter criatividade.

A inteligência artificial pode ser usada em áreas de planejamento, automatização, jogos, diagnósticos médicos, robótica, entre outras, mas ainda existem alguns conflitos ideológicos em alguns segmentos sobre seu uso e seu futuro.

Inegavelmente, para a inteligência de mercado, o uso da inteligência artificial tem um enorme potencial. Pensando nisso, algumas empresas se especializaram em criar plataformas para negócios baseadas em tecnologia para auxiliar o desenvolvimento dos trabalhos nas empresas.

Com servidores de alta performance, especialistas de diversas áreas, capacidade de assimilação de dados e seguridade sobre a privacidade dessas informações, a ideia de a inteligência artificial ser aplicada em diversos nichos dos negócios tem se popularizado.

Esse sistema já é usado, por exemplo, por bancos que combinam transações com grandes quantidades de dados para criar padrão para novos produtos. Outros exemplos são a análise de bilhões de eventos de segurança por dia por analistas de TI, ou o uso de dados médicos aliados a informações individuais de pacientes para personalização de tratamentos.

Na logística, esses sistemas podem prever contratempos e gerenciar transações de cadeias de suprimentos, reduzindo custos e melhorando eficiência. Também pode-se utilizar atendentes virtuais que resolvem o problema do consumidor de maneira mais rápida e que estreitam o relacionamento e a lealdade com o consumidor.

De maneira geral, a inteligência artificial consegue captar em meio ao número grande de informações que são geradas quais são uteis ao negócio e o que fazer com elas, contribuindo para a postura ativa da empresa, e não só reativa. A resposta as necessidades do cliente são dadas com maior agilidade, segurança e confiabilidade.

Esse trabalho precisa ser realizado de forma personalizada para cada empresa, mas garante que o potencial da inteligência de mercado seja atingido, aumentando a qualidade do trabalho desenvolvido.

Algumas questões relativas a inteligência artificial ainda gera muitos debates e pontos de reflexão, já que ela diminui o número de postos de trabalho. Existe ainda a dificuldade que os pontos de trabalho que permaneceriam são aqueles com alta qualificação, causando grandes impactos na dinâmica da sociedade.

Apesar dos avanços, ainda há entre os países enormes diferenças entre o potencial de uso da inteligência artificial, e em países como o Brasil, que tem alto número de mão de obra barata e produção tecnológica lenta, a dependência de tecnologia externa ainda é muito grande.

Mesmo com as dificuldades, uma vez que outros países já iniciaram os avanços e que a mudança já começou, a inteligência artificial é uma tendência forte nas estratégias de sucesso para as empresas nos próximos anos e aquelas que não quiserem se tornar obsoletas, terão que se adaptar as novidades do modo de se trabalhar informações.

Entre em contato para testar o BI PharmaETL gratuitamente!